quarta-feira, 20 de outubro de 2010

SEPARAÇÃO, DEUS ODEIA ! ! !

“Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu não separe o homem”
Mateus 19:6

Vivemos um tempo, em muitos aspectos, muito parecido com o tempo de Sodoma e Gomorra.
O ser humano tem interferido impiedosamente naquilo que Deus uniu e abençoou, e feito à sua maneira, do seu jeito.
O homem tem procurado deformar e até destruir o que Deus formou e pôs as mãos.
Não só na questão climática, onde já sentimos os terríveis efeitos.
A cada novo dia acordo com a sensação triste de que muitos casamentos e famílias vão ser destruídos nas portas dos tribunais.
São maridos e esposas rebeldes, desobedientes à ordem que o Senhor DEUS determinou que cumprissem: “não separe o homem aquilo que Eu juntei!”.
Além do que está escrito, DEUS pede a todos os casados que abram bem os seus ouvidos para essas palavras: “não separem!”, diz o DEUS que não mudou nem nunca mudará.
Há muita gente se apoiando nas misericórdias de DEUS para justificar a destruição de seus casamentos e a realização de novos matrimônios.
Eu sempre digo que as misericórdias do Senhor são infinitas, mas elas não anulam uma vida de obediência à Palavra de DEUS.
Se não fosse assim, não haveria um perdido sequer.
Todos viveriam ao seu bel prazer, na prática desenfreada do pecado, e, bastaria conhecer a misericórdia de DEUS para que tudo estivesse resolvido.
Nem precisaríamos ler a Santa Palavra nem tampouco obedecê-la.
“Eu sei que Deus é misericordioso e ponto final”.
É uma verdade que esconde o nosso dever de atentarmos para os conselhos de DEUS e segui-los, aplicá-los em nossa vida.
Não apaga, por exemplo, a ordem de permanecermos casados, ainda que a tempestade tenha se levantado sobre o casamento.

DEUS tem um ciúme e um zelo enormes com o casamento e a família, um cuidado que transcende qualquer conhecimento que temos acerca do Seu Amor. Se atentássemos a gravidade disso, pensaríamos uma milésima de vezes antes de tomarmos qualquer decisão que afete o laço matrimonial.
Precisamos entender que se DEUS não quisesse mais que os cônjuges permanecessem casados, ELE simplesmente tiraria a vida do marido ou da esposa ou mesmo dos dois.
DEUS não é bobo, não é ingênuo, não possui um pensamento limitado como o nosso ao ponto de se contradizer e de se arrepender daquilo que constituiu e instituiu como mais sagrado.
ELE é ao autor da vida e como tal tem a liberdade de fazer nascer e de tirá-la.
O casamento é, portanto, uma vida de duas pessoas que se tornaram uma. Quem acaba um casamento se torna homicida aos olhos de DEUS.
E quem se casa novamente com outra pessoa, estando ainda vivo o marido ou a esposa, torna-se adúltero.
Quem destrói um casamento e uma família também demonstra incredulidade na possibilidade de DEUS transformar o que está errado na relação a dois, por conseguinte, medroso e abominável.
Veja o que está escrito no livro de Apocalipse: “Mas quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, que é a segunda morte” (21:8) (grifo meu).

Todos os projetos de DEUS passam pela família.
Todos!
Uma família constituída é a garantia de uma multiplicidade de gerações que venham a propagar o Amor de DEUS para a salvação dos perdidos.
Não é à toa que o diabo e seus demônios se preocupam primeiramente de atingi-la e de destruí-la. .
Quando não, ele destrói uma família e, aparentemente, constrói uma outra.
É um doce amargo nos lábios de quem acabou de experimentar o sonho frustrado de um casamento.
Satanás sabe como enganar as pessoas, conhecendo as suas necessidades, as suas frustrações e a sua tendência em não querer se submeter à prova com DEUS, mas realizar a vontade da carne.
Destruindo as famílias, as futuras gerações que propagariam o Nome do Senhor JESUS estariam ameaçadas.
E por falta de atenção e de zelo, responsabilidade do homem em relação ao que DEUS orienta, é que muitos se enveredam nas obras mentirosas e enganosas de satanás e passam a ser acompanhados por uma sensação de vazio enorme revestida de religiosidade.
Um homem sem a sua família é um ser sem a orientação de DEUS.
Nem tempestades impetuosas nem pequenos ventos agitados podem destruir o projeto de DEUS que foi aliançado em CRISTO JESUS.

Quando olhamos a história trágica das duas cidades antigas que foram inteiramente destruídas, apenas nos lembramos do histórico sujo e negro de prostituição que sua população possuía.
Há um fato, porém, que merece destaque nesse episódio: a família de Ló.
A Bíblia afirma que Ló era primo de Abraão (aquele cujas descendências são abençoadas) e era casado, tinha uma família.
Ambos eram ricos, possuíam fazendas, gados e pastores.
Pelas grandes riquezas que possuíam, certo dia tiveram que se separar: “Então, Ló escolheu para si toda a campina do Jordão e partiu Ló para o oriente; apartaram-se um do outro” (Gênesis 13:11).
Chegando lá, Ló, sua mulher e filhos armaram suas tendas nas cidades da campina até Sodoma.
Não sabemos o nome da esposa de Ló.
Ela apenas é conhecida na Bíblia por um ato de desobediência à ordem dada por DEUS através de seus anjos.
DEUS queria livrar a família de Ló das injustiças e da destruição daquela cidade: “Ele, porém, demorava-se, e aqueles homens lhe pegaram pela mão, pela mão de sua mulher, e pela mão de suas duas filhas, sendo-lhe misericordioso o Senhor, o tiraram e o puseram fora da cidade. Havendo-os tirado fora, disse um deles: escapa-te, salva a tua vida; não olhes para trás, nem te detenhas em toda esta planície. Escapa-te para os montes, para que não pereças” (Gênesis 19:16-17).
O Senhor teve um plano para salvar a família de Ló de toda a destruição.
Ele deu uma ordem: “não olhes para trás”. “Então o Senhor fez chover enxofre e fogo sobre Sodoma e Gomorra – do Senhor desde o céu” (19:24).
Enquanto fugiam, olhando sempre para a frente, a família de Ló recebera do Senhor tamanho livramento.
Mas eis que a sua mulher, num ato de desobediência à ordem de DEUS, olhou para trás e foi transformada em uma estátua de sal.
Por causa dessa desobediência, dessa atitude rebelde, tristes foram as consequências em toda a sua família e as gerações deste nosso tempo.
As filhas de Ló, embriagaram o próprio pai e com ele se deitaram e engravidaram. “A primogênita deu à luz um filho, a quem chamou de Moabe, este é o pai dos moabitas de hoje. A menor também deu à luz um filho, a quem chamou de Bem-Ami; este é o pai dos amonitas de hoje” (Gênesis 19:37-38).
Moabitas e Amonitas trazem até os dias de hoje uma descendência impiedosa, sanguinária, bem conhecida na relação entre árabes e judeus.

No capítulo 20 do mesmo livro, temendo ser morto pelo rei Abimeleque, Abraão ofereceu a sua esposa (a mais bela da região), Sara, aos conservos do rei para que a mesma se tornasse mulher dele.
Sara, casada com Abraão, ia se tornar esposa, em cerimônia no palácio, de outro homem.
Abraão, então, clamou muito a DEUS para que isso não acontecesse. “Deus, porém, veio a Abimeleque em sonhos, de noite, e lhe disse: estás para morrer por causa da mulher que tomaste; ela tem marido. (...) Agora, pois restitui a mulher ao seu marido, pois ele é profeta, e rogará por ti, para que vivas. Mas se a não restituíres, certamente morrerás, tu e tudo o que é teu” (Gênesis 20:3 e 7).

Quando refletimos nessas duas histórias envolvendo Ló e seu primo Abraão, percebemos o quanto DEUS é contundente com algo que envolva família.
A vida do rei estava sob risco.
A vida da esposa de Ló se transformou em estátua de sal.
Não se altera os projetos elaborados por DEUS.
“Não separe o homem aquilo que DEUS uniu”.
Ainda que o PAI, Criador dos céus e da terra, tenha que sacrificar vidas, mas ELE não deixará impune nenhum daquele que, direta ou indiretamente, tenta por outro fundamento naquilo que ELE criou.
O tempo da grande justiça divina chegou.
O livro do profeta Malaquias diz que “Deus detesta o divórcio” (2:16).
Até quando taparemos os nossos ouvidos e fecharemos os nossos olhos para a Verdade de DEUS?
Confie, obedeça, conserte-se e ELE te abençoará . . .

No Amor de Jesus,
Pr. Humberto Freire


Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget