quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

A VERDADEIRA LIBERDADE

" Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres "
João 8.36

Desde tempos remotos na história da humanidade a preocupação com a liberdade tem sido crucial para que se compreenda a essência da vida e da fé.
Que o homem foi criado livre é um consenso entre judeus e cristãos.
Todavia, a manutenção ou perda deste status é algo que divide as opiniões, mas num aspecto desta questão todos concordam: a liberdade é muito importante e faz parte da ansiosa busca de todos os homens.
O preço da liberdade é muito alto.
Lois Lowry, escritora norte-americana, demonstrou isto em seu livro O Doador. Nesta obra de natureza fictícia, a autora descreve uma comunidade onde as pessoas dão continuidade a uma decisão tomada por seus antepassados.
Esta decisão tomada em tempos remotos era a de não mais decidirem sobre o que poderiam ou não fazer.
A opção pela mesmice fez daquela comunidade um recanto de paz e sossego onde as pessoas cumpriam suas funções sem poder optar por ser o que não gostariam de ser.
Na comunidade utópica de Lowry existia um homem cuja função era guardar e transmitir as memórias.
Este homem sofria porque sabia que um dia as coisas foram diferentes, mas que, em nome de uma suposta paz, procedente da ignorância, as pessoas entregavam seus direitos à liberdade.
Jonas, um menino de 12 anos foi escolhido para substituir o Doador e descobre que sua comunidade, aparentemente perfeita, era fruto de uma mentira.
Jonas consegue ver o que ninguém via e concluir que não vale a pena viver sem liberdade.
Esta obra teve enorme repercussão nos Estados Unidos a vendeu mais de 5 milhões de exemplares no mundo todo.
Ao terminar de lê-la fiquei pensativo sobre a importância e valor da liberdade.
O que é liberdade?
Quem de fato é livre?
Como experimentar a verdadeira liberdade?
A liberdade é uma dádiva que Deus deu à humanidade.
Existe a liberdade para ser e a liberdade para continuar sendo.
Adão tinha a liberdade de ser quem Deus queria que ele fosse.
Porém, ao pecar ele perdeu a liberdade de continuar sendo o que Deus queria que ele fosse.
Ele perdeu a liberdade de voltar ao paraíso e ter livre acesso à árvore da vida. Depois de perder sua liberdade essencial a humanidade viveu cativa debaixo da escravidão do pecado.
Como descendentes do escravo Adão, nascemos neste mundo escravizados ao pecado.
Porém, Jesus Cristo, o descendente da mulher, sendo livre, a si mesmo se fez escravo e por meio de sua morte e ressurreição trouxe plena liberdade a todos que crêem nele.
Ninguém pode ser verdadeiramente livre se não for libertado por meio de Jesus Cristo.
Somente Jesus Cristo pode oferecer verdadeira liberdade.
Uma vez libertos podemos continuar a viver esta liberdade – Gálatas 5.1.
O fumante, assim como qualquer pecador, não é livre numa consideração última. O fumante tem a liberdade de fumar, mas no exercício desta pseudo-liberdade ele abre mão da liberdade de não fumar.
O pecador é escravo do pecado – João 8.34.
A verdadeira liberdade é aquela que no seu exercício gera mais liberdade ainda. Esta liberdade é a liberdade dos santos.
Sendo livre posso ainda viver como se não fosse livre.
Esta situação paradoxal é experimentada por muitos filhos de Deus.
A verdadeira liberdade é uma dádiva divina que precisa ser apropriada pela fé. Fomos libertados da condenação eterna e do poder do pecado pela nossa identificação com Cristo em sua morte e ressurreição.
Porém, minha fé nesta verdade exige de mim uma atitude: Não permitir que o pecado reine em meu corpo mortal – Romanos 6.12.
A liberdade nos é dada, mas cabe a nós continuar vivendo nesta liberdade.
Ao usar de modo legítimo a minha liberdade eu me torno mais livre ainda. Quando no exercício da liberdade os filhos de Deus optam pela vontade de Deus, eles passam a experimentar uma liberdade maior, porém, quando iludidos pelo diabo, eles optam por satisfazer seus desejos carnais tornando-se cativos destes mesmos desejos e assim, apesar de livres, vivem como escravos.
Uma pessoa que ainda é velha criatura não consegue viver plenamente a liberdade porque esta é uma dádiva que Deus concede aos seus filhos.
Somente os filhos são livres, somente eles foram libertos pelo Filho de Deus.
Não há verdadeira liberdade em nenhum outro.
Nenhum sistema ou religião pode oferecer liberdade, somente o Filho de Deus pode dar a verdadeira liberdade.
Uma das coisas que mais me fascina em Jesus Cristo é que ele oferece liberdade a todos.
Diante dele as pessoas estavam livres para ser o que eram de verdade.
Ele deu a todos o direito de segui-lo ou deixar de segui-lo.
Ninguém foi obrigado a segui-lo, ninguém foi obrigado a não segui-lo.
Sendo livres para segui-lo ou não, muitos optaram por rejeitá-lo e ele respeitou esta decisão equivocada.
Como o filho pródigo escolheu a terra distante rejeitando o amor paterno, assim muitos têm rejeitado a Cristo e optado por seus próprios desejos.
Mas, assim como o pai do filho pródigo, Jesus aceitou a rejeição.
Esta é a liberdade que Jesus oferece a todos.
Mas a verdadeira liberdade somente pode ser experimentada por aqueles que, no exercício de sua liberdade, optam por segui-lo.

No amor de Jesus,
Pr. Humberto Freire

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget