domingo, 6 de dezembro de 2009

AS FINANÇAS PODEM CONCORRER COM A FAMILIA ?

Sim, podem e concorrem.
Os pais trabalham tanto, que não têm tempo para os filhos.
O marido trabalha tanto, que está cansado demais para conversar com a esposa.
A esposa trabalha tanto que está cansada demais para cuidar do marido, do filho e até de si mesma.
Marido: “Eu trabalho muito para dar tudo a vocês!”
Esposa: “Eu me mato de trabalhar para ajudar a pagar as contas!”
Pai: “Não está vendo que o pai está cansado e quer ver o jornal?”
Mãe: “Agora não, vou ver um pouco de televisão para descansar!”
Família: “Ir à Igreja?
Hoje não, estamos muito cansados!”
É claro que é preciso trabalhar.
Com o fruto do trabalho, pagamos as contas e compramos coisas.
Porém, não devemos nos exceder.
Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus...
Pedi, e dar-se-vos-á, buscai e achareis...
Quando o ambiente em casa não vai bem, os filhos sentem que há algo de errado. Isso provoca irritação, ansiedade e insegurança; eles são capazes de fazer muitas coisas somente para chamar a atenção.
Marido e esposa não se entendem; falam línguas diferentes.
As finanças, aos poucos, vão minando o relacionamento.
Rogo-vos, porém, irmãos pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos a mesma coisa, e que não haja entre vós divisões, para que sejais unidos no mesmo sentido e no mesmo parecer (1Co 1:10).
Não devemos deixar as dívidas, o trabalho excessivo ou o descontrole financeiro afetarem o nosso relacionamento familiar.
O dinheiro não compra saúde, amor, paz, salvação ou um lar.
Sempre existe uma saída; muitas vezes, é mais simples do que imaginamos.
Em Mateus 6:25-34, Jesus repete por três vezes a mesma citação:
Não andeis ansiosos.
Não andeis ansiosos.
Não andeis ansiosos.
É um remédio; tome três comprimidos: um ao acordar, outro durante o dia e um antes de dormir.

Pr. Humberto Freire

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget