sexta-feira, 29 de abril de 2011

AS CINCO MARCAS DA IGREJA QUE QUER ABALAR O MUNDO

“ E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.
E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.
E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister.
E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,
Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar “
Atos 2:42-47

Se alguém lhe fizesse a seguinte pergunta:
Qual é a igreja mais importante do mundo?
O que você responderia?
Por certo, a resposta mais sábia que você poderia responder seria esta:
É a Igreja que Deus está edificando dentro de mim!.
Muito bem!
E se alguém em seguida, lhe fizesse a segunda pergunta:
Quais os propósitos que você usaria para abalar o mundo?.
Creio que você responderia:
Os mesmos propósitos que havia na Igreja Primitiva.

A Igreja Primitiva é igreja que todos nós amamos.
Uma igreja modelo, pois era determinada, prudente, santa, pura, decisiva, além de possuir fortes marcas como: se reunir no templo e de casa em casa.
Tinha profundo compromisso com a doutrina, ela era engajada na ação social, na oração, evangelizava, e sabia fazer discípulos.
Tinha grande comunhão dentro dos muros e também a simpatia dos de fora.
O que não acontece com muitas igrejas nos dias de hoje.

Hoje vemos igrejas que revelam alguns deslizes, e até grandes desequilíbrios. Já não zelam pela doutrina, não existe entusiasmo nas celebrações, desprezam as orações, crescem em quantidades, mas não na qualidade.
Algumas igrejas estão parecendo como se fossem empresas.
É hora de parar!.
Olhar para ver como era a Igreja de Cristo em Jerusalém.
Ela é o nosso exemplo e deve ser imitada!.
A verdadeira igreja cristã precisa manter a firmeza da doutrina.
Uma igreja fiel jamais pode mercadejar a Palavra de Deus.
Algumas dessas igrejas falam das promessas de Deus, de ser ricamente abençoado, de triunfos, de vitórias sobrenaturais, mas não falam de oração, de santidade, e da comunhão.
A sua liderança precisa entender que a igreja para ser poderosa, deve ter como prioridade, a oração e o compromisso com a Palavra de Deus (At.6.4).

A igreja é o instrumento apontado por Deus para a salvação dos homens.
Foi organizada para servir, e sua missão é levar o evangelho ao mundo.
A igreja é depositária das riquezas da graça de Cristo; e é através da igreja, que todos os propósitos de Cristo serão cumpridos.
Mas o povo de Deus, pouco a pouco, está perdendo de vista os privilégios de uma igreja que deveria ser cheia do poder de Deus.
Uma igreja que Cristo gostaria de encontrar na sua volta!.
Estão se esquecendo do IDE de Jesus, e deixando de cumprir sua mais nobre missão: salvar vidas!.

Nos tempos de Jesus, os líderes judeus imaginavam-se demasiadamente sábios para necessitar de instrução, demasiadamente justos para necessitar de salvação, e demasiadamente honrados para necessitar da honra que vinha de Cristo.
E Deus afastou-se deles!.
A glória de Deus precisava ser revelada, a salvação precisava ser conhecida por todos os povos; seja na cidade ou no deserto.
Nós somos os discípulos chamados por Cristo, para fazer as obras que alguns líderes estão deixando de fazer.

Quero lhe apresentar as Cinco Marcas de um modelo de igreja que abalou o mundo, e veja como ela está diferente hoje.
Essa igreja que lhe apresento não tem nada a ver com a igreja dos fariseus de hoje, cheia de cerimoniais, timidez, e injustiças humanas.

A PRIMEIRA MARCA – FOI UMA IGREJA NASCEU SENSÍVEL À VOZ DE DEUS

A igreja de Jerusalém nasceu sob o bastão da verdade.
No século I, o mundo fervilhava entre mitos e fábulas, além dos mercadores de religiões misteriosas e de poderes mágicos.
A igreja começou com o derramamento do Espírito Santo em Jerusalém, e o evangelho explodiu como um barril de pólvora.
O evangelho foi além das fronteiras da pequena Palestina, e moveu-se rapidamente por todo o mundo conhecido.
No início, o movimento cristão foi ignorado pelas autoridades, pois o viam com um ramo inofensivo do judaísmo.
A proclamação do evangelho invadiu os corações daqueles povos que começaram a manifestar a sua fé, e a saciar a sua fome espiritual.
O povo mudou, a visão mudou.
Nasceram os cristãos sensíveis aos ensinamentos de Cristo.
Eram comprometidos com a palavra de Deus.
Os cristãos passaram a se recusar a adorar o imperador, assim como os soldados cristãos das legiões romanas.
Contagiados pelo Espírito, a força do evangelho começou a vibrar os corações dos soldados cristãos, que por sua vez, se recusavam a lutar e a matar.
Cristo penetrou no mundo dos homens, e por amor de seu nome, os cristãos chegavam até a enfrentar a morte por causa de suas decisões em seguir Jesus. A igreja nasceu na periferia de um império poderoso, mas tornou-se tão dinâmica e importante que acabou conquistando o mundo, mesmo debaixo de severas perseguições.
A igreja de Jerusalém possuía uma boa teologia, sabia depender mais de Deus do que seus próprios recursos.
A igreja mesmo sendo perseguida não temia as adversidades, orava e o Espírito Santo fazia tremer o lugar.
Em At.13.1-3 – diz que a igreja de Antioquia orava a Deus e o Senhor abriu as portas para as missões mundiais.
Em At. 16.25 – Paulo e Silas oraram na prisão e Deus abriu as portas da Europa para o evangelho.
A presença e a manifestação extraordinária de Deus era bem presente na vida da igreja.
Havia o temor de Deus, e o pecado da mentira era punido com a morte. Conheciam a santidade de Deus, por isso não brincavam com as coisas de Deus. Muitos sinais e prodígios foram realizados. Filipe realizou sinais em Samaria (At.8.6).
A conversão de Saulo foi seguida da sua cura (At.9).
A libertação de Pedro pelo Anjo do Senhor (At.12).
Deus curou os enfermos de Malta pela oração de Paulo (At.28.8-9).
DEUS, pelas mãos de Paulo fazia milagres (At.19.11).
Em menos de trinta e cinco anos, o evangelho alcançou cidades importantes como Jerusalém e Roma.
Soube dominar um mundo que estava preparado para combater as Boas Novas. Enfrentou oposição em todos os lugares por onde passou.
Os primeiros cristãos não estavam testemunhando um Cristo morto, mas davam testemunho de um Cristo que morrera e ressuscitara e estava vivo, do qual foram testemunhas oculares.
O mesmo é verdadeiro para nós, pois Jesus vive e continua a operar milagres no meio da sua igreja.
Interessante que hoje podemos verificar que há dois extremos na igreja: aqueles que negam os milagres e aqueles que inventam os milagres!.

A SEGUNDA MARCA – HAVIA ARDOR NA PREGAÇÃO DA PALAVRA

A comunhão no templo era uma das marcas da igreja de Jerusalém.
Era uma igreja viva, alegre, amavam as coisas de Deus.
Os irmãos amavam estar na casa de Deus para adorar.
O louvor era contagiante, fervoroso, restaurador, sincero, verdadeiro. Exaltavam o nome de Jesus com alegria, e o resultado era de corações apaixonados e quebrantados.
A Palavra de Deus transbordava entusiasmo, vigor e inspiração divina.
Era uma igreja alicerçada na palavra, não se importando com as perseguições, os sofrimentos, a angústia, a aflição, a amargura ou a dor física.
Os discípulos em Antioquia da Pisídia, mesmo perseguidos, nunca deixaram de transbordar de alegria, porque estavam cheios do Espírito Santo (At.13.52).
Os apóstolos quando foram açoitados no Sinédrio, se retiraram se regozijando por terem sidos considerados dignos de sofrer afrontas pelo nome de Jesus (At.5.40-42).
Que exemplo belo!!.
E foi com esse mesmo espírito que os seguidores de Cristo se animaram.
Os novos discípulos que iam chegando também souberam levar a palavra de Deus para converter o povo.
Foram envolvidos no mesmo ardor, na mesma paixão e no mesmo entusiasmo pela palavra de Deus, fazendo com eles fossem além de seus limites.
Com isso, eles também puderam ver, e viver com fé o sobrenatural de Deus. Tinham um coração transbordante de amor ao próximo.
Queriam levar esperança, falar da salvação e da libertação de suas velhas vidas. Eram esses os sentimentos que os levavam a devotar a vida a esse trabalho. Movidos pelo Espírito Santo, “se deram ao Senhor”, e não temiam os perigos que os ameaçavam.
Aquela geração foi rica no fruto da beneficência e na virtude de negarem a si mesmo, com o intuito de suprir as necessidades dos outros.

A TERCEIRA MARCA – A IGREJA SABIA VALORIZAR A COMUNHÃO

Os crentes tinham prazer de estarem sempre juntos (At.2.42-46).
Onde tem o óleo do Espírito Santo, aí há união entre os irmãos.
O Senhor também derrama a sua benção e a vida para sempre.
Onde há a presença do Espírito Santo, as brigas e as contendas cessam, brota o perdão e a cura.
Eles se reuniam no templo e também nos lares.
Comiam juntos com alegria e singeleza de coração, sempre louvando a Deus. Todos gostavam de estar juntos, partiam o pão de casa em casa.
Os discípulos se faziam presentes nas comunidades, não se isolavam e não fugiam dos seus objetivos.
A igreja primitiva era sensível para ajudar os mais necessitados (At. 2.44-45). Tinham o desapego dos bens e apego às pessoas.
Eram convertidos no coração e no bolso.
A distribuição e a disposição dos bens da igreja primitiva eram feitas entre todos, segundo a necessidade de cada um.
Quando uma carência física ou espiritual chegava ao conhecimento da Igreja, a ação era realizada imediatamente, para que o problema fosse resolvido (I Jo.3.17).
Os irmãos demonstravam seu amor uns para com os outros por meio de doações deles próprio, como sacrifício ao Senhor.
Eram extraordinariamente generosos, cordiais, tinham compaixão, cuidado e preocupação com os seus semelhantes.
Naqueles dias, como em nosso tempo, havia cristãos ricos e pobres (II Co.8.2).
Por causa disso, os mais favorecidos tinham a preocupação para com o pobre, com o trabalho, com a igualdade, com as viúvas, e até com os escravos.
E hoje, como está a nossa preocupação com os menos favorecidos?.

A QUARTA MARCA – A IGREJA SABIA IMPACTAR AS PESSOAS

A vontade de Deus sempre foi nos ajudar a ser uma igreja que saiba impactar o meio em que vivemos.
O estilo de vida impactava toda a sociedade, pois contavam com a ação soberana de Deus.
A igreja crescia e transformava as pessoas: os maridos se tornavam fiéis às suas esposas, os filhos respeitavam mais os pais, os mais ricos ajudavam os de menores condições financeiras, e os vizinhos se tornavam mais amáveis e piedosos.
Sabe por que?
Porque tiveram suas vidas impactadas!!.
Os discípulos anunciavam o evangelho com amor, revelando a glória de Deus como nunca antes fora testemunhada pelos mortais.
Os resultados foram gloriosos, e a unção do Senhor acompanhava o ministério dos discípulos escolhidos por Cristo.
As obras que faziam abalavam as pessoas.
O mais surpreendente é que o evangelho foi levado a todas as nações, numa única geração!.
A igreja contava com a ação divina como também com a simpatia de todo o povo (v.47).
Os discípulos eram homens que sabiam falar e orar com sinceridade, homens que sabiam apropriar-se do poder do Espírito Santo.
E até hoje, Deus está usando sua igreja para impactar as nações, e tornar conhecido Seu propósito na Terra.
Multidões que haviam injuriado o nome de Jesus e desprezado o Seu poder, agora confessavam ser discípulos de Cristo!.
Tiveram suas vidas impactadas!!.

A QUINTA MARCA – A IGREJA SABIA CHEGAR AOS CONFINS DA TERRA

Os trabalhos iniciais da igreja cristã foram cercados de dificuldades e amarga aflição.
Para realizar a obra, os discípulos encontravam constantes privações, calúnias e perseguições; mas não desistiram.
Foi então que o cristianismo surgiu com força total e se expandiu numa velocidade constante conquistando parte do mundo romano.
E por essa razão os cristãos plantaram igrejas em dezenas das principais cidades do império romano até o fim do primeiro século.
Souberam espalhar o evangelho, pois a ordem de Cristo era para “chegarem aos confins da terra” (At.1.8).
Os discípulos sabiam que para chegar até lá, a dúvida, a indecisão, e a fraqueza de propósitos, não podiam ocupar o lugar de seus esforços, de seus alvos.
Nos corações de pedra do mundo judeu e do mundo pagão, os apóstolos trabalharam dia e noite.
Algumas vezes foram cegados pelas névoas do desânimo que baixavam sobre eles, mas com a fé inabalável e inquebrantável coragem eles levaram avante a obra.
Como os apóstolos, muitos deles tiveram suas vidas tombadas por prisões, por torturas, perseguições, e morte.
Mas a decisão de alcançar novos povos, continuava avançando firmemente.
A igreja começava a crescer em todo o canto da Terra.
Crescia em números, crescia em qualidade, crescia unida.
Muitas vidas foram salvas pela poderosa ação divina.
Nunca faltaram homens e mulheres para ocuparem os lugares daqueles que deram suas vidas preciosas pela obra de Cristo.
Em três décadas, podemos ver o maravilhoso resultado do crescimento da obra de Cristo na terra.
Em At. 1.15 – havia 120 membros.
Em At. 2.41 – havia 3.000 membros.
Em At. 4.4 – já havia 5.000 membros.
Em At. 5.14 – uma multidão já fazia parte da igreja.
Em At. 6.17 – o número de discípulos é multiplicado.
Em At. 9.31 – a igreja se expande para a Judéia, Galiléia e Samaria.
E em At. 16.5 – as igrejas já estavam estabelecidas e fortalecidas em todo mundo.
Esses foram os maiores e mais belos exemplos, do testemunho maravilhoso da expansão do Evangelho.
São exemplos encorajadores que devemos seguir.
Foi através do Espírito Santo que aqueles irmãos do passado foram impelidos a darem prosseguimento à ordem de Jesus, de serem “Suas testemunhas até os confins da terra” (At.1.8 – 13.47).

Conclusão

Como vai a sua igreja?.
Você é uma testemunha de Cristo?.
Então saiba que a palavra “mártir” deriva da palavra grega que significa “testemunha”.
Se você pretende ser um discípulo do Senhor, e como igreja de Cristo deseja abalar o mundo, lembre-se que Deus requer um compromisso fiel, digno, firme, constante e perseverante da sua parte.
A unção de Deus custa caro, mas o Espírito Santo lhe dará todas as forças para que você consiga alcançar os seus objetivos.
As Cinco Marcas da Igreja de Cristo, são sinais e evidências da Sua presença, do Seu poder e da Sua compaixão para com aqueles que estão sofrendo e precisam de Deus.
Deus ainda promete um avivamento e tempos de refrigério para os seus discípulos que continuam a árdua missão de salvar almas para o seu Reino.
A presença de Cristo, a benção espiritual e o derramamento do Espírito Santo continuam acontecendo para que os fiéis da sua igreja permaneçam na grande batalha de vencer o mundo, a carne e o domínio de Satanás (At.26.18).
Saiba que o Deus que rege a lei da gravidade é o mesmo Deus que rege a lei dos milagres.
Que o Deus das coisas naturais é o mesmo Deus das coisas sobrenaturais.
Que o Deus do passado é o mesmo do presente.
Por isso, O Senhor quer usar você para estremecer o inferno e impactar o mundo.
Que o Senhor continue lhe abençoando até a sua Gloriosa Volta.

OS CINCO PROPÓSITOS DA IGREJA DE JESUS
1. Amar a Deus com todo o seu coração e acima de todas as coisas.
2. Amar a seu próximo como a si mesmo.
3. Ir e Fazer Discipulos.
4. Batizar.
5. Ensinar a Obediencia

No Amor de Jesus,
Pr. Humberto Freire
( Baseado no livro de Greg Laurie )



Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget