quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

INTRODUÇÃO AO LIVRO DE SALMOS


INRODUÇÃO AO LIVRO DE SALMOS
Motivação Para o Estudo dos Salmos
Texto Básico: Sl 119:97-105

Versículo Chave:
“Render-te-ei graças com integridade de coração, quando tiver aprendido os teus retos juízos” – Sl 119:7

· Todos sabemos que os salmos são a porção mais linda das Sagradas Escrituras.

1.Os Salmos possuem contexto:
· Os Salmos não são capítulos, mas cada um deles é independente (por isso não se diz Salmos, capítulo 23 e sim, Salmo de número 23, por exemplo).
· Por essa razão muitos irmãos pensam que podem estudá-los a esmo, sem visão da situação em que estão inseridos.
· Para estudar os salmos com seriedade, devemos procurar entender a situação emocional, espiritual e histórica do escritor; onde, como e por que o povo recitava ou cantava, o significado dos textos e o seu conteúdo poético, considerando inclusive a linguagem figurada.
· Muitas vezes fazemos mal em abrir a Bíblia, ou a “caixinha de preciosas promessas”, para ler um texto totalmente fora do seu lugar, sem compreensão de seu valor e ensino verdadeiro.

2. Os salmos possuem inspiração:
· Os Salmos não são apenas poesia bonita, amuleto ou texto pequeno e fácil, para lermos quando temos preguiça de estudar a Bíblia de verdade (no contrário trata-se da Palavra de Deus – II Tm 3,16).
· Do ponto de vista da Teologia Bíblica, os Salmos fazem parte da Teologia do Antigo Testamento.
· Na revelação progressiva de Deus, demonstram, por exemplo, uma visão em que a morte é o fim de tudo, as recompensas são esperadas aqui na terra mesmo, a doutrina bíblica da Trindade não aparece com clareza como no Novo Testamento, e os inimigos são mais humanos do que espirituais.
· Sendo Palavra de Deus, devemos sempre estudá-lo com temor e reverência. Suas verdades são autoridade infalível e alimento adequado para o Cristão verdadeiro.

Seguem algumas motivações para o estudo dos Salmos:

I – OS SALMOS FALAM DO HOMEM

· As poesias são uma maneira natural de demonstração de sentimentos.
· Desde bem pequenos aprendemos a declamar versinhos, e nos momentos importantes de nossa vida sentimental sempre facilitamos as coisas por meio de poesias falada ou cantada.
· Desse modo, os salmos são preciosas aberturas para o interior emocional e espiritual dos homens.

1.Suas angústias e seus pecados:
· Nesta série, podemos verificar o salmista como um ser perfeitamente humano, sujeito a medo (Sl 27,1 e Sl 121,1), revoltas (Sl 73, 2 e 3), ansiedades (Sl 42, 5), doenças (Sl 41, 3), angústias (Sl 42, 3) e, principalmente pecados (Sl 8, 32);

2. Sua vida diária e sua morte:
· Temas do dia a dia como sede, fome, trabalho, lar, são presente nos Salmos (veja por exemplo Sl 23, 2, Sl 127, 1 e 2 e Sl 128, 1-3).
· Presente também é a realidade da morte (Sl 90, 9, Sl 44, 22, Sl39, 4-6).

3. Suas alegrias e vitórias:
· Se “ao anoitecer pode vir o choro, a alegria vem pela manhã” (Sl 30, 5).
· O Salmos são repletos de momentos alegres, geralmente vinculados aos feitos extraordinários de Deus por meio de seus servos. O salmista canta a graça de Deus, que é melhor que a vida. (Sl 63, 3), as intervenções maravilhosas de Deus (Sl 98, 1) e o prazer de estar na casa do Senhor (Sl 122, 1).

II – OS SALMOS FALAM DE DEUS

1.Apresentam o Deus soberano:
· Deus é sábio criador de todas as coisas (Sl 147, 4-5), sua majestade é acima da terra e do céu (Sl 148, 13) e todas as coisas estão debaixo do seu domínio.
· Nos Salmos há sempre um reconhecimento de que Deus tem o controle de tudo, e de que Ele é Santo e grandioso, muito superior a tudo que se possa imaginar.

2. Apresentam um Deus presente:
· Aqui o grande avanço dos Salmos em relação à literatura de seu tempo.
· Deus não é um mito ausente e distante, mas presente na vida diária do seu povo.
Veja o exemplo numa parte desse bonito salmo:
“O Senhor faz justiça aos oprimidos e dá pão aos que têm fome.
O Senhor liberta os encarcerados.
O Senhor abre os olhos aos cegos.
O Senhor levanta os abatidos.
O Senhor ama os justos.
O Senhor guarda o peregrino, ampara o órfão e a viúva, porém transtorna o caminho dos ímpios.” – Sl 146, 7-9

3. Apresentam o Deus redentor:
· Alguns Salmos são chamados de messiânicos, porque apresentam o messias.
Veja alguns exemplos :

Salmo 22: É extraordinária a apresentação profética, anunciando o sofrimento vicário do messias.

Salmo 69: O lamento do messias.

Salmo 107: Neste belo texto vemos a ação maravilhosa de Deus, que liberta o seu povo e por isso merece ser louvado.

Salmos 105, 106 e 114: Os extraordinários testemunhos da redenção do êxodo do Egito à Canaã.

III – OS SALMOS FALAM DA RELAÇÃO DO HOMEM COM DEUS

1.Uma relação de temor e dependência:
· O salmista sabe que “O temor do Senhor é o princípio do saber” (Sl 11, 10) e que se não fosse o Senhor, o homem estaria perdido (ver Salmo 124).
· Os salmistas sabem que o Senhor é a nossa porção (Sl 116, 5).

2.Uma relação de reverência e compromisso:
· Diante da grandeza de Deus, consciente de que Deus nos formou, e tem todo o controle sobre nossa vidas, o salmista se submete ao Senhor e deseja acertar sua vida conforme sua vontade (ver Sl 139).
· Muitos dos salmos trazem condenação forte contra aqueles que são infiéis para com Deus (Sl 106, 20) e todo o seu ensino é no sentido de nos apegarmos ao Senhor com fidelidade e amor (Sl 91), porque esse é o caminho de uma vida abençoada.

3.Uma relação de louvor e adoração:
· Finalmente, essa é grande força do livro dos Salmos: louvor e adoração ao Deus verdadeiro.
· Muitos deles são expressão evidente de louvor, e outros tantos são convites à adoração, sempre diante de inúmeras razões e de variadas maneiras.

IV– CONCLUSÃO

· Os Salmos são, em geral, muito lidos e citados.
· O que deve mudar é maneira como são estudados, mais seriedade e dedicação de cada um de nós na procura dos preciosos ensinamentos dos Salmos nos darão muita alegria e grandes benefícios espirituais.

V– PLICAÇÕES PRÁTICAS PARA MINHA VIDA

1.Será que os Salmos não têm sido para nós e nossas igrejas oportunidade para muitas declarações insinceras que desagradam a Deus?

2.Será que eu posso perceber a carga emocional por detrás das palavras escritas nos Salmos?

3. Eu pessoalmente poderia compor um Salmo de louvor ao Senhor?

No amor de Jesus,
Pr. Humberto Freire

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget