quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

QUE VIDA É ESSA ?

Vivemos um paradoxo.
Construímos edifícios cada vez mais altos, mas nossa paciência está cada vez mais curta.
Nossas estradas estão cada vez mais largas; nossos pontos de vistas cada vez mais estreitos.
Gastamos cada vez mais dinheiro, mas temos cada vez menos alegria.
Compramos cada vez mais, porém não temos tempo para desfrutar do que compramos.
Moramos em casas maiores, e temos famílias cada vez menores.
Desfrutamos de mais conforto, mas nos sentimos cada vez mais desconfortáveis.
Conseguimos mais diplomas; entretanto, revelamos menos sabedoria; obtemos maior conhecimento, e demonstramos menor bom-senso; formamos mais especialistas, contudo, os problemas se multiplicam; a medicina evoluiu, mas há mais doenças; abrimos mais academias, e temos menos bem-estar.
Muitos multiplicam suas posses materiais, mas diminuem seus valores.
Dizem amar, mas não sabem expressar o amor.
Sabem falar, mas não sabem ouvir.
Falam muito, mas comunicam pouco.
Odeiam facilmente, porém tem dificuldade de perdoar.
Sabem como enriquecer, mas não como viver.
Aumentam os dias de sua vida, mas não acrescentam vida aos seus dias.
Descobriram como ir e voltar para a lua, mas tem dificuldades de ajudar um vizinho.
Conquistaram o espaço, mas não sabem como preencher o vazio interior.
Fazem o mundo melhor, enquanto ficam piores.
Ensinam os filhos a não poluir o meio ambiente, mas permitem que eles poluam a mente.
Conhecem o átomo, mas não conhecem a própria esposa.
Sabem usar engenhocas sofisticas, mas não a língua.
Ensinam muito, mas não aplicam o que ensinam à própria vida.
Planejam com eficácia, mas realizam pouco.
Trabalham como loucos, e descansam quase nada.
Inventam computadores cada vez mais potentes, rápidos e capazes de armazenar informação, no entanto, esquecem como segurar a mão de alguém e de fazer-lhe um carinho.
Come rápido, mas a digestão é lenta.
Tornam-se mais altos, mas tem o caráter cada vez menor.
Lutam por salários maiores, e seus relacionamentos são cada vez piores.
Tem mais relações, e menos intimidade; possuem carros lindos, mas seu coração é triste.
Os casamentos são celebrados com festas cada vez mais caras, enquanto sua família fica mais pobre.
Fazem sexo com pessoas diferentes, mas não tem uma pessoa com quem abrir o coração.
Relacionam-se com milhares de pessoas, mas esses relacionamentos são cada vez mais superficiais.
Negociam com muita gente, mas não confiam em ninguem.
Prometem ficar casados até a morte, mas se divorciam cada vez mais cedo.
Hã coisas demais nas vitrines, e de menos na alma.
As pessoas cuidam do corpo, mas não do espírito.
Conversam com estranhos, mas não com os filhos.
Visitam clientes, mas nãos os pais.
Corrigem os erros dos outros, mas não deletam de si a mágoa.
Olham para a tela do computador ou da televisão por horas seguidas, mas não são capazes de olhar o rosto de quem amam por um minuto sequer.
Passe um pouco de tempo com as pessoas que você ama.
Elas não vão estar aqui para sempre.
Diga uma palavra de carinho à criança que o olha admirada, ela vai crescer, viver sua própria vida e mudar-se para longe.
Diga “ eu te amo “, passeie de mãos dadas, beije intensamente, o amor da sua vida é quem vai estar ao seu lado quando as coisas derem erradas ou a morte chegar.
Pare um pouco.
Descanse um pouco.
Viva um pouco, afinal você não é eterno.
Leia Marcos 8:36

No Amor de Jesus,
Pr. Humberto Freire

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget